Arquivo da categoria: solidariedade

Calendário da semana

[ calendário geral retirado de: http://greveusp2014.wordpress.com/2014/09/14/atividades-da-greve-de-15-a-20setembro2014-participe/ ]

Segunda-feira | 15.setembro

08h, 14h e 19h: PASSAGENS EM SALA DE AULA:

* Concentração às 08h; 14h e 19h no acampamento – Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/331253080388347/

11h: CATRACAÇO NO BANDEJÃO DA QUÍMICA

* Concentração às 11h no Vão do prédio da História e Geografia [sem evento no facebook]

15h: MUTIRÃO PARA PINTAR O FAIXÃO

* Às 15 horas em frente ao acampamento, vamos nos reunir para pintar o faixão que será estendido na terça-feira – Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/760518233987484/

18h Reunião GT Movimentos Sociais

* Na sala do CEGE https://www.facebook.com/events/554785327981216/

Terça-feira | 16.setembro

07h: um faixão sobre a greve será estendido em viaduto próximo à USP. Para maiores informações escreva para: greveusp2014@gmail.com

08h: ARRASTÃO NOS CURSOS: CHAMADO PARA ATO NO C.O

* Concentração às 08h no acampamento para definirmos o trajeto do arrastão. Saída às 09h. Voltaremos às 13h para o acampamento onde será a concentração conjunta com o SINTUSP para irmos em ato para a reunião do C.O. – Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/685993768136893/

13h: ATO NA REUNIÃO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO (C.U.)

*Concentração às 13h em frente ao acampamento – Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/715542871871733/

18h: ASSEMBLEIA DA GEO

* 18h no Vão Livre – Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/1483455385262670/

INDICATIVO DE ASSEMBLEIAS DE CURSO

Quarta-feira | 17.setembro

09h: ATO ATÉ O PALÁCIO DOS BANDEIRANTES

* Concentração às 09h no portão 1. Sairemos em ato unificado das três categorias rumo ao Palácio do Governo – Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/347844842058883/

14h: DEBATE: Tenharin – Etnocídio no Sul do Amazonas – 2014

* No auditório da Geografia, às 14h – Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/735607256474342/

18h: DEBATE: Fechamento do Vão Livre (no Aquário) – https://www.facebook.com/events/1474959189457860/

21h: GT DE PERMANÊNCIA DO CRUSP, às 21 horas na sala da AmorCrusp (ao lado do bandejão central)

Quinta-feira | 18.setembro

11h: SOPÃO CONTRA A PRIVATIZAÇÃO

* A atividade será a partir das 11h no bandejão da química e contará com panfletagem contra a terceirização – Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/974671609226089/

18h: Atividade da ADUSP “A desvinculação do HU”, debate no auditório da Geografia com José Pinhata Otoch (}Superintendência do HU) e José Sebastião dos Santos (Fac. de Medicina de Ribeirão Preto)

18h: Reunião Comissão de Comunicação do CEGE (no Aquário)

Sexta-feira | 19.setembro

09h: DEBATE SOBRE A QUESTÃO TRANS

* (mais infos em breve)

18h: ASSEMBLEIA GERAL DE ESTUDANTES DA USP

* No vão da história e geografia, às 18h – Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/524087277734700/

DEPOIS DA ASSEMBLEIA:

* Festa-atentado contra a moral e os bons costumes, na FAU (Fac. de Arquitetura e Urbanismo)

18h: Reunião GT Área da Geo – https://www.facebook.com/events/907832459231263/

Sábado | 19.setembro

17h: COMANDO DE GREVE ESTUDANTIL

* Às 17 horas, na Ágora (em frente ao bandejão central). Se chover será na sala 51, que é bem próximo da ágora – Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/1540021439566656/

 

Hospital Universitário da UFPR: privatizado à força!

Ontem a treta foi grande lá em Curitiba.

Assim como na USP, a burocracia universitária da UFPR aliada com governos, capitalistas e com a PM avança a passos firmes no sucateamento e na privatização do ensino público.

Nicolas Pacheco, estudante, está preso por lutar contra a privatização.

CONTRA A REPRESSÃO!

LIBERTEM NICOLAS PACHECO!

TODA SOLIDARIEDADE AS ESTUDANTES EM LUTA DA UFPR!

Continue lendo

hojE: Negro Drama II + Marcha Contra o Genocídio da População Negra + Churras Open Violência

Negro Drama II – as cotas raciais

https://www.facebook.com/events/871626786181588/ 

10h no SINTUSP

[descrição]

Debate sobre as políticas de Cotas Raciais

“Eu sou irmão dos meus trutas de batalha, eu era a carne…agora sou a própria navalha” (Racionais MC´s)

O Negro Drama ainda vive, em uma das maiores populações carcerárias do mundo que em sua maioria é negra; nos trabalhos mais precarizados ocupados em sua maioria pelos negros, que começam a se levantar como mostraram os garis do RJ apontando o caminho para lutarmos contra a terceirização, a falta de moradia, de transporte, saúde e educação e a arma da policia que tem como alvo prioritário os negros.
Apesar do discurso da “democracia racial”, de que a miscigenação teria acabado com o racismo, ele ainda existe, e nem mesmo as estatísticas do governo conseguem esconder. É só olhar o número de jovens negros mortos, a quantidade de negros que é segregada para fora das universidades como a USP pelo filtro social do vestibular e a quantidade de negros que morrem nas filas dos hospitais.
O racismo que, no passado, foi utilizado para escravizar milhões de homens, mulheres e crianças africanos, vive hoje, ainda que muitas vezes se apresente de forma velada e serve como instrumento a serviço dos patrões, para dividir os trabalhadores e nos explorar ainda mais. Os trabalhadores precisam tomar em suas mãos a luta contra o racismo para poder golpear com um só punho os que nos exploram e oprimem todos os dias.

+

II Marcha (Inter) Nacional Contra o Genocídio do Povo Negro – SP

Continue lendo

[informe] Manifestação pacífica na USP é reprimida pela Tropa de Choque

[retirado de: http://greveusp2014.wordpress.com/2014/08/20/informe-manifestacao-pacifica-na-usp-e-reprimida-pela-tropa-de-choque/ ]

Manifestação pacífica na USP é reprimida pela Tropa de Choque

Funcionários e estudantes realizaram na manhã desta quarta-feira manifestação pacífica exigindo a reabertura das negociações e denunciando a privatização da Universidade de São Paulo

 

Na manhã desta quarta-feira (20/agosto) estudantes e trabalhadores da USP em greve realizaram um trancaço em todos os portões da universidade. Trancaço é a forma de piquete caracterizada pelo trancamento de portões, de modo a bloquear temporariamente a entrada de pessoas ao campus, o de hoje tinha como intuito alertar a comunidade acadêmica e a sociedade como um todo sobre os processos de privatização que a USP vem sofrendo.

Desde as 4 horas da manhã, os portões da universidade já estavam fechados como forma de protesto. A polícia militar entrou no campus pelo portão do Hospital Universitário e dirigiu-se, com 4 viaturas da força tática para o portão 2 – saída da Av. Politécnica. Manifestantes não ofereceram resistência e os policiais abriram os portões com alicates. Eram cerca de 50 manifestantes. As bases policiais permaneceram no portão até que estudantes e trabalhadores seguiram para o portão principal da USP para somar esforços com demais grevistas.

Quase ao mesmo tempo – cerca de 05h30 da manhã -, com 12 viaturas da força tática e 20 motos da ROCAM, a polícia reprimiu brutalmente as pessoas que estavam no protesto no portão 3. Esta é a saída onde fica localizada a faculdade de veterinária  e o Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional, onde docentes de T.O. também aderiram à greve. Funcionários e estudantes foram encurralados tanto pela desproporcional quantidade de policiais para cada manifestante presente, mas também devido ao uso de bombas de gás lacrimogêneo, efeito moral e balas de borracha. Esses armamentos eram considerados, antigamente, pela polícia como não letais, mas após o alto índice de graves ferimentos (alguns levando ao óbito) a polícia precisou mudar o nome destas munições para “baixa letalidade”.

Após a repressão no portão 3, manifestantes seguiram em ato até o portão principal da USP onde demais grevistas estavam reunidos. Já neste portão manifestantes denunciavam as violações praticadas pela polícia e relatavam que algumas pessoas estavam machucadas com ferimentos no olho e uma funcionária que teve uma bala de borracha alojada na perna.

Continue lendo

Hoje: Reunião organizativa do QIB + Comando FFLCH + Bate-papo greve + pedágio

Construa a NOSSA greve!
Participe!

Pedágio pró fundo de greve
11h na reitoria
https://www.facebook.com/events/881197311909548/

Reunião QIB contra o arrocho
16h na prainha
https://www.facebook.com/events/691592424253398/

Comando unificado FFLCH
18h no Verde
https://www.facebook.com/events/580593132051356/

Bate-papo sobre a greve
18h nas mesinhas
https://www.facebook.com/events/620520241394742/

 

QIB contra o corte de ponto

https://www.facebook.com/events/272814659575627/

[descrição]

CANiL_ e CALC CONVIDAM:

Essa edição da Quinta i Breja será em solidariedade aos trabalhadores da USP que estão sob cruel ataque da reitoria. Há 79 dias (80 dias, na quinta) tentando enfiar o arrocho goela abaixo, mantendo as negociações fechadas, Zago agora deixou funcionários de diversas unidades da USP sem salário.

Para que essas famílias não fiquem totalmente sem sustento até que a greve faça o reitor recuar e devolver os salários, foram tiradas diversas atividades para levantar fundos, como essa QiB.

VENHAM TOD@S encerrar esse longo dia de luta e tomando uma breja pelo Fundo de Greve.

//BREJA BARATA// DESTILADOS// X-GREVE (SE SOBRAR)

PROGRAMAÇÃO em construção: Heróis da Rua Debaixo // e +

TOD@S AO ATO NO PALÁCIO!
TOD@S À ASSEMBLÉIA DOS ESTUDANTES!
TOD@S À QUINTA I BREJA!

Para doar diretamente ao Fundo de Greve:

BANCO DO BRASIL
AGÊNCIA 7068-8
CONTA POUPANÇA 5.057-1 (variação 51)

(artigo) USP: Em recepção de Fábio Hideki, trabalhadores em greve exigem liberdade imediata à Rafael Braga.

artigo em pdf

USP: Em recepção de Fábio Hideki, trabalhadores em greve exigem liberdade imediata à Rafael Braga.

Celso Jr – São Paulo, 12 de agosto de 2014.

Após grande campanha pela liberdade do estudante e funcionário da USP Fábio Hideki, trabalhadores em greve manifestam-se pela liberdade imediata do jovem negro Rafael Braga, único preso ligado às manifestações de junho de 2013, mesmo após a perícia técnica da polícia ter divulgado que os desinfetantes que o rapaz transportava não eram materiais explosivos.

A manifestação ocorreu nesta segunda-feira, 11/8, por volta do meio-dia, quando centenas de trabalhadores da Universidade de São Paulo, que estão em greve há mais de 70 dias, realizaram uma grande recepção ao colega Fábio Hideki, em meio à Assembleia geral da categoria.

O caso de Braga ficou bastante conhecido após ter sido relatado por jornais internacionais e uma grande campanha internacional a partir da Anistia Internacional e grupos de direitos humanos.

Cleber de Oliveira, funcionário do setor de manutenção na Universidade, aponta elementos políticos nos dois casos. “Fica claro se tratar de perseguição política. Tanto a prisão de Rafael Braga em 2013 como a de Hideki neste ano, têm objetivo de atacar duramente todos os movimentos sociais que se manifestaram nos respectivos casos”.

E argumenta sobre conotação racial no caso do Rio de Janeiro. “Entretanto, vejo também que, no caso de Rafael Braga ainda se mantém a lógica racista do Estado e da Justiça, pois Rafael não tinha nenhum envolvimento com aquelas manifestações, e mesmo com a comprovação técnica de que ele não portava material explosivo, o rapaz negro continua preso”, afirma Oliveira.

Campanha na greve

Os trabalhadores da USP além de encaminharem uma grande campanha durante a greve pela liberdade do colega Fábio Hideki, também disponibilizaram assessoria jurídica por via de seu Sindicato.

Para Magno de Carvalho, dirigente do SINTUSP, o empenho dos advogados do caso teve papel importantíssimo para a liberdade do manifestante. “A nossa luta foi muito importante, sem dúvida, mas se não fosse o esforço desses companheiros no aspecto jurídico, o Fábio não estaria aqui.”

Claudionor Brandão, um dos dirigentes do Sintusp e demitido político, destacou que Luiz Eduardo Greenhalgh, advogado do caso, observou em conversa que já teve oportunidade de defender pessoas muito conhecidas, mas em nenhum dos casos houve tanta solidariedade como no caso de Hideki. “É mais uma demonstração da clareza que ficou pra todo mundo do quanto foi injusta a prisão dele, do quanto se tratava de uma perseguição e de um esquema montado”, observou o sindicalista.

Continuação da campanha

Para o funcionário Cleber de Oliveira a contribuição dos trabalhadores na campanha de Rafael Braga é uma iniciativa importante para que a categoria discuta as diferenças de tratamento dado pelo Estado, quando se envolve a questão racial.

“Compreendo que o fato do companheiro Hideki ser estudante e funcionário desta Universidade, houve grande comoção na comunidade universitária por sua liberdade, além do total apoio de nosso sindicato. Da mesma forma podemos contribuir pela liberdade de Rafael, do Rio de Janeiro”, avalia o funcionário da USP.

No Rio de Janeiro e São Paulo, movimentos sociais estão organizando reuniões para discutir a ampliação da campanha do caso Rafael Braga, que já tem audiência marcada para o próximo dia 26 de agosto.

rafael braga

Hoje: Assembleia GEO + ato EACH + Comitê Contra Repressão

Assembleia GEO

GREVE
Escolha da delegação da GEO pro Comando

HOJE  12.08 às 18h no vão

https://www.facebook.com/events/351964068290151/

+

Culto pela descontaminação da EACH

HOJE 12.08 às 19h lá no templo de Salomão

https://www.facebook.com/events/1465089833758895

+

Comitê Contra Repressão

Hoje 12.08 às 19h na Praça Rooselvelt

https://www.facebook.com/events/1458548604410890