Arquivo da categoria: nota

Hospital Universitário da UFPR: privatizado à força!

Ontem a treta foi grande lá em Curitiba.

Assim como na USP, a burocracia universitária da UFPR aliada com governos, capitalistas e com a PM avança a passos firmes no sucateamento e na privatização do ensino público.

Nicolas Pacheco, estudante, está preso por lutar contra a privatização.

CONTRA A REPRESSÃO!

LIBERTEM NICOLAS PACHECO!

TODA SOLIDARIEDADE AS ESTUDANTES EM LUTA DA UFPR!

Continue lendo

NAO AO GOLPE! – BUROCRACIA MANOBRA VOTAÇÃO NO C.O. E APROVA DESVINCULAÇÃO DE HRAC À USP

NAO AO GOLPE!

BUROCRACIA MANOBRA VOTAÇÃO NO C.O. E APROVA DESVINCULAÇÃO DE HRAC À USP

O C.O. desta terça-feira, 26.08, foi convocado para que fosse discutido e deliberado sobre as desvinculações dos hospitais universitário à USP, a implementação do PDV (Plano de Demissão Voluntária) e o reajuste salarial dos trabalhadores e docentes da universidade.

O conselho ocorreu no IPT, no qual uma grande manifestação foi convocada por estudantes e funcionários e contou com a participação massiva dos alunos da Medicina e Odontologia, além dos trabalhadores dos hospitais, parte dos principais afetados caso tal desvicunlação fosse aprovada.

Por volta das 17h, a manifestação que já contava com mais de 2 mil pessoas foi recebida com a gratificante notícia de que as desvinculações haviam sido retiradas das pautas e só voltariam a ser discutidas em C.O. após 30 dias, período no qual um amplo debate devaria ser realizado. Satisfeitos, muitos manifestantes deixaram o local, quando após cerca de uma hora a notícia de que a desvicunlação do HRAC havia sido aprovada foi passada no caminhão de som. Momentos depois, os RD’s dos trabalhadores e dos estudantes chegaram e confirmaram tal notícia, esclarecendo que através de uma manobra da diretora do FOB (Faculdade de Odontologia de Bauru) e do Zago, a proposta da desvinculação apenas do HRAC poderia ser realizada, pois foi alegado que “não havia necessidade de debater o assunto”. Os RD’s fizeram questões de ordem alegando que isso já fora retirado das pautas, quando Zago respondeu que não acataria tal questão, pois tinha poderes absolutos de retirar ou colocar propostas, que a desvinculação seria votada e após isso o C.O. seria encerrado.

Contando com o apoio dos tecnocracas canalhas sem catáter da burocracia uspiana (dentre eles, o nosso ilustre diretor Sergio Adorno), a proposta foi aprovada por ampla maioria (dentro da cupula minoritária com interesses sórdidos que cumpunha tal espaço). Como prometido, após isso o conselho foi encerrado e uma reunião para próxima terça, 2.9, marcada.

Ainda muito tristes e emocionados, trabalhadores e estudantes mobilizados encerraram a manifestação, com a vitória parcial da discussão da desvicunlação do H.U. prorrogada, e a amarga derrota da perda do HRAC.

CERVEJADA CANCELADA, FOCO NA LUTA!

A assembleia da FFLCH marcada também para esta terça não ocorreu, primeiramente pela não adesão da maioria dos cursos da FFLCH a sua realização, e segundo pela manifestação no C.O., que era prioridade, ter ocorrido até a noite. No entanto, estudantes da Geografia reunidos naquele espaço optaram pela não realização da cervejada contra o arrocho que ocorreria na quarta. Tal decisão foi tomada levando em conta que a cervejada foi marcada antes de sabermos que o calendário da semana contaria com um evento muito importante na quarta: a reunião de negociação na ALESP. Portanto, ficou decidido que daremos peso a tal evento e iremos para ALESP deixar claro que NÃO ARREGO! NOSSA LUTA É JUSTA!

AUDIÊNCIA NA ALESP, 4F: ônibus saírão da USP às 13h. Concentração em frente ao MAC.

_CEGEUSP

Moção de repúdio à proposta de fechamento do Vão Livre

mocao de repudio ao fechamento do vao em pdf

Moção de repúdio à proposta de fechamento do Vão Livre

Nós, estudantes de geografia reunidas em assembleia e organizadas no CEGE autogestionário, gostaríamos de expressar nosso total rechaço à absurda proposta de fechamento do Vão Livre. Entendemos que manter o acesso à este espaço livre é fundamental para a convivência e organização das estudantes, pois é onde historicamente nos encontramos – seja para festejarmos, seja para realizarmos debates, assembleias, ou mesmo só pra conversarmos.

Neste sentido, gostaríamos de deixar claro que, independente desta proposta vir a ser aprovada nos fóruns burocráticos da universidade (como os Conselhos Deparmentais ou a Congregação da FFLCH), nós faremos absolutamente o que for necessário para inviabilzar o fechamento do Vão e garantir que o acesso a este se mantenha permanentemente LIVRE!

FECHAMENTO DO VÃO:
NÃO PASSARÁ!!!

Assembleia de estudantes de geografia
CEGE USP Autogestão

 

Nota de repúdio do CEGE ao corte de ponto

Nota de repúdio do CEGE ao corte de ponto

Nós, estudantes de geografia reunidas em assembleia de curso e organizadas no CEGE autogestionário, gostaríamos de manifestar nosso total repúdio ao corte de ponto realizado arbitrariamente pela reitor da Universidade de São Paulo, Zago. Entendemos que esta é uma medida repressiva que visa atacar e enfraquecer o movimento organizado da categoria trabalhadora na universidade. A greve é um importante instrumento legitimo e histórico de pressão política da classe trabalhadora contra seus patrões, e é, também, garantida pelas leis do atual Estado-nação Brasil e sua democracia representativa.

NÃO TEM ARREGO!

Assembleia de geografia
CEGE autogestão em greve

Comunicado CEGE para os centros acadêmicos da USP e entidades de base – Assunto: organização do Encontro Estudantil das três Estaduais de sp

Comunicado CEGE organização do Encontro Estudantil das três Estaduais de sp em pdf

Comunicado CEGE para os centros acadêmicos da USP e entidades de base

Assunto: organização do Encontro Estudantil das três Estaduais de sp

 No final de semana do dia 05 e 06 de julho ocorreu a Plenária Estudantil das três estaduais paulistas. Esta reuniu pouco menos de uma centena de estudantes das três universidades – UNESP, USP e UNICAM – e teve como debates principais: balanço e perspectivas para a greve unificada, cotas, permanência e repressão. A partir destes debates decidimos, por consenso, tomar algumas resoluções, entre elas: que os eixos unificados de nossa greve estudantil são repressão, cotas, permanência e contra a precarização/privatização; formar uma comissão para organizar o próximo Encontro (a ser realizado na USP no final de semana de 9 e 10 de agosto); fortalecer as campanhas contra a repressão – especialmente em defesa de Fábio Hideki, em defesa dos processadxs de Araraquara (recentemente rolou uma reintegração de posse) e em defesa da readmissão de metroviárias demitidas devido a greve última; iniciar uma articulação entre os campis ultraprecarizados (each-USP, campis experimentais da UNESP, limeira e piracicaba da UNICAMP), entre outras.

 A ata desta plenária pode ser visualizada no blogue do CEGE: https://cegeusp.milharal.org/2014/07/08/ata-da-plenaria-unificada-estudantil-das-tres-estaduais/

 Como o próximo Encontro Estudantil das três Estaduais está marcado para a USP-butantã e a data indicada já está bastante próxima – além de entendermos como importantíssima esta iniciativa de articulação horizontal entre o movimento estudantil das estaduais – nós estudantes organizadas no CEGE autogestionário gostaríamos de convocar todos os centros acadêmicos e entidades de base para participar da construção do Encontro. Nos dispomos, para tal, a realizar conversas, participar de reuniões e etc.

 Entre em contato conosco!
A lista de emails de organização do encontro já está rolando!

www.facebook.com/cegeusp/
cegeusp@gmail.com
cegeusp.milharal.org

 

Nota geo sobre CCA

nota geo cca em pdf

NOTA da GEOGRAFIA SOBRE o CCA

Nós, estudantes de geografia reunidos em assembleia e organizados no CEGE autogestionário, compreendemos como legitima a resolução deliberada pela penúltima assembleia geral sobre a não realização de reuniões do Conselho de Centros Acadêmicos durante o período de greve.

Neste sentido, não comporemos este fórum caso ele venha a ser convocado durante a nossa greve.

Assembleia de estudantes de geografia

CEGE autogestão

 

Nota de apoio à luta das metroviárias e metroviários!

 

Nós, estudantes de Geografia na Universidade de São Paulo, por meio desta nota, afirmamos nosso apoio incondicional à greve das metroviárias e metroviários de São Paulo, que para nós, é um exemplo a ser seguido.

Entendemos, antes de tudo, que protestar não é crime! Que lutar por condições dignas de trabalho e, com isso, lutar por condições melhores no próprio transporte público não é crime, mas um direito! A greve é historicamente um instrumento legítimo das trabalhadoras e trabalhadores do mundo todo, que mostra aos patrões, à elite e ao Estado que sem trabalhadores e trabalhadoras, suas ordens não são nada! A greve do metrô escancara para quem quiser ver: o povo organizado tem poder!

Assim, reiterando a legitimidade do fazer greve, repudiamos, do começo ao fim, a ação repressiva, violenta e criminosa da polícia, que desde o início da greve vem tentando coibir a luta das metroviárias e metroviários, com coerção (obrigando muitos grevistas à trabalharem, por exemplo) balas de borracha, cassetetes, bombas e, como vimos hoje, por meio da tortura.

Manifestamos aqui todo nosso apoio ao companheiro Murilo, estudante de direito da PUC, que foi preso, humilhado e torturado pela polícia neste dia 9 de junho, somente por estar em uma manifestação de apoio aos trabalhadores e trabalhadoras em greve.

Repudiamos a polícia, a direção do metrô e o governo do Estado de São Paulo! Repudiamos as demissões dos 61 trabalhadores e trabalhadoras do metrô, afirmando que estaremos desde já e até o fim ao lado das metroviárias e metroviários na luta pelos seus direitos!

Todo apoio a luta e aos métodos das metroviárias e metroviários!

LUTAR NÃO É CRIME!

Por uma vida sem catracas, polícias e patrões!

Notícia sobre o caso do Murilo:

http://www.carosamigos.com.br/index.php/cotidiano-2/4182-estudante-de-direito-e-detido-e-violentado-por-pm-em-protesto

Notícias e vídeo sobre a ação criminosa da polícia:

http://www.youtube.com/watch?v=UXDgcD0_0rg

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2014/06/09/em-5-dia-de-greve-do-metro-sp-tem-confronto-demissoes-e-transito-intenso.htm#fotoNav=112