Arquivo mensais:outubro 2013

Carta do Comando de Greve Unificado da História e Geografia

Carta lida durante a plenária departamental da FFLCH de 29out13

Carta dos estudantes em pdf

Caros professores, alunos e funcionários,

 Tendo em vista a carta aberta assinada por mais de cem docentes da FFLCH, entendemos que se abre um novo espaço para o debate. Deste modo, reiteramos que os estudantes estiveram e ainda estão dispostos ao diálogo, que não foi quebrado ou impedido pelos piquetes.Haja vista as sucessivas recusas da reitoria e do Conselho Universitário em receber nossas propostas e as ressalvas em negociar com os estudantes, mesmo após a determinação da Justiça. Transcrevemos a seguir algumas considerações.

O ponto de maior alarme dos professores em relação às recentes manifestações aparece como os piquetes e os cadeiraços. Nos ater aos efeitos e tratá-los como causa nos impede, porém, de acessar a verdadeira raiz do problema. Os piquetes são apenas a manifestação material do que acontece em nossas salas de aula. O debate político, via de regra, é deixado em segundo plano, e nossas atenções se voltam ao conteúdo das aulas, às provas, trabalhos, seminários, etc. Ainda que alguns professores se esforcem para manter o debate e o diálogo, muitas vezes isso não é possível; não apenas por uma escolha política ou ideológica, mas também devido à própria estrutura universitária tal como está. Com as salas de aula lotadas, fica difícil se criar um laço entre alunos e professores tal como aquele que é recordado pelos membros mais antigos da casa, que tiveram o privilégio de poder ter os professores não apenas como transmissores de conhecimento, mas como verdadeiros colegas de área. O conhecimento já foi a ponte que unia os dois pólos – alunos e professores – e não a barreira entre eles. Porém, quando limitamos o conhecimento à sala de aula, acabamos reduzindo a universidade a trabalho e estudo, conforme apontado pela carta dos docentes. Esquecemo-nos, assim, do real propósito da universidade, bem como da formação como algo além do mero acúmulo de conteúdo. Segundo o MEC, “As universidades se caracterizam pela indissociabilidade das atividades de ensino, de pesquisa e de extensão. São instituições pluridisciplinares de formação dos quadros profissionais de nível superior, de pesquisa, de extensão e de domínio e cultivo do saber humano (…)”.

Continue lendo

Fórum do Espaço Aquário – quinta 31/out às 18h

https://grevehistgeo.milharal.org/2013/10/30/forum-do-espaco-aquario-quinta-31out-as-18h/

Pautas:

– Feedback da comissão de oficio dos móveis

– Organização da “semana de revitalização”

PS: Sim, é no mesmo dia e horário da Assembleia Geral. A reunião do Fórum do Espaço Aquário já estava marcada há duas semanas e não será cancelada.

Ata do Comando de Greve Geo/hist 28out13

 COMANDO DE GREVE GEO/HIST(28/10)

Criação do e-mail (Marcus)

Compra de microfone (Emilio)

Piquetar as atividades dxs professorxs (29/10 terça-feira) as 12h (Mari e Roberta)

Plenária dos 3 setores (29/10terça-feira) às 18h. Reunião do comando pré-plenária às 16h20.

Trancaço dos 3 portões da USP às 6h (29/10terça-feira).

DELIBERAÇÕES:

Proposta do comando a ser levada à Plenária: que todas as atividades doprédio sejam realizadas no vão livre, não no auditório ou sala de aula.

Não ter assembleia até a disponibilidade dos calendarios em ambos os cursos para fazê-la unificada.

CALENDARIO DO COMANDO: xs convidadxs presentes devem ser confirmadxs até sábado dia 02/10

TER 16H20 – Reuniao do Comando

18h – Plenaria dos 3 setores

QUA (30/10) → Atividade da pós-graduação.

18H Plenaria Departamental da Geo

QUI (31/10) → Atividade do quilombo e raça

18h Assembleia Geral

SEXTA (01/10) 14h-18h → Cineclube “ A experiencia Cruspiana” (Tati, Marina Hist, Marcus, Augusto)

SEG

(04/11) 16h → Reunião do Comando da Geo/Hist

18h → Indicativo de Assembleia Unificada

TER

(05/10) 15h → Atividade sobre permanencia. Convidadxs: Moradia Retomada (Augusto), Amorcrusp (Joyce).

QUA

(06/10) 15h → Repressão. Conidadxs: Jessica Trinca (Pedro), Canil (Tati), Sintusp (Hugo), Crusp

QUI

(07/10) 15h → Ocupações urbanas. Convidadxs: Ocupa Itapevi (Polvilho), Ocupa Esperança (Joyce), Remo (Hugo), Zona Sul (Pedro).

SEX

(08/10) 15h → Teatro do oprimido (tati)

20h → Festa da Greve – articular com bateria e atletica.

Manifesto em Apoio à Luta Estudantil

MANIFESTAÇÃO

Não nos enganemos. Vivemos um momento excepcional na FFLCH, relacionado ao movimento mais amplo de reivindicação de democracia e eleições diretas para reitor, na USP; de contestação do autoritarismo dos governos da cidade e do estado de São Paulo; de crítica às políticas de fundo neoliberal sempre em curso no Brasil. É um momento de crise econômica e política grave, que não permite tergiversações e conciliações aparentes, ao mesmo tempo em que abre a possibilidade de realizar as mudanças necessárias e há muito desejadas no quadro institucional existente. Diante desta grande oportunidade, impõe-se uma ação clara e decidida por parte dos que querem de fato superar o estado de coisas que a crise tornou inviável. Os que somos favoráveis a tais mudanças, temos de apoiar todo esse movimento, certos de que eventuais excessos serão corrigidos no seu próprio curso. O que não se pode é desviar a atenção por considerações externas que o paralisem ou retardem, nem por julgamentos de tipo moralizante que acabam servindo aos interesses políticos conservadores. No âmbito da FFLCH, o movimento começou com a greve dos estudantes, mas deve alcançar todas as categorias, interessadas do mesmo modo na ampliação do espaço de discussão e de decisão. Para isso, declaramos apoio irrestrito ao corpo discente mobilizado, deixando de lado diferenças, nesse momento secundárias.

Assinam:

Jorge Grespan – Departamento de História – USP

Heloísa Fernandes – Departamento de Sociologia-USP

Leila Hernández – Departamento de História -USP

Paulo Arantes – Departamento de Filosofia – USP

Otília Fiori Arantes – Departamento de Filosofia -USP

Ricardo Musse – Departamento de Sociologia -USP

Ruy Braga – Departamento de Sociologia – USP

Fabio Konder Comparato – Faculdade de Direito -USP

Henrique Carneiro- Departamento de História -USP

Marlene Petros – funcionária da FFLCH – USP

Renan Quinalha – aluno de pós – Faculdade de Direito – USP

Maria Silvia Betti – Departamento de Letras Modernas – USP

Francisco Alambert – Departamento de História -USP

Cilaine Alves Cunha – Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas – USP

Osvaldo Coggiola – Departamento de História -USP

Luiz R. Martins – Departamento de Artes Plásticas – ECA – USP

Eri Teruki Otsuka – Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada

Rodrigo Ricupero – Departamento de História -USP

Mauricio Cardoso – Departamento de História -USP

Valeria De Marcos – Departamento de Geografia -USP

Sean Purdy – Departamento de História – USP

Yuri Martins – aluno de Pós – Departamento de História – USP

Natan Zeichner – Fulbright-Hayes Scholar,Department of History – New York University

Marcos Silva – Departamento de História – USP

Jorge Luiz Souto Maior – Faculdade de Direito –USP

Zilda Márcia Grícoli Iokoi – Departamento de História – USP

Adma Muhana – Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas – USP

Helder Garmes – Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas – USP

João Adolfo Hansen – Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas – USP

Anderson Gonçalves – Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada – USP

Carlos Zeron – Departamento de História – USP

Leon Kossovitch – Departamento de Filosofia – USP

Homero Santiago – Departamento de Filosofia – USP

Antonia Terra – Departamento de História – USP

Lincoln Secco – Departamento de História – USP

Renato Queiroz – Departamento de Antropologia –USP

Luiz Roncari – Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas – Literatura Brasileira – USP

Jean Menezes –Departamento de Ciência Política e Economia – Unesp (Marília)

Paulo Yasha Guedes – Mestrando, Departamento de Filosofia – USPCristiane de Vasconcelos Lopes – Prolam – USP

Mauro Zilbovicius – Escola Politécnica – USP

E todos os que desejarem assinar

Ata reunião do GT área da Geografia 24out13

PRESENTES: JULIANA, FERNANDO, AMANDA

Informes Coregeo Uff Campos 19 E 20 De Outubro:
Muitas escolas presentes (9 escolas)
Voadora disse que vai levar a planilha de gastos do EREGEO-SE no próximo conselho
Escola sede do próximo encontro disse que já organizou e conseguiu todas as burocracias com a universidade
Preço da cerveja definido
Indicativo de data: 30 de abril a 4 de maio
Alojamento é grande
Almoço será R$ 0,70 café da manhã será negociado com sintuf e aduf
Culturais: capacidade para 2 mil pessoas
Sugestão de rifa de livros para arrecadar dinheiro para a EREG
Maiores custos serão com as culturais, material do kit, limpeza e segurança
Houve discussão sobre a cartilha, ficou quase pronta, só falta o texto sobre o Geogay
Comissão externa para contatar com outras escolas
Próximo conselho 13,14 e 15 de dezembro na USP
TEMA: “PROJETO E DESENVLVIMENTO: CIDADE EM CRISE”

CONEEG
Vai acontecer um conselho extraordinário no SIMPURB, ainda sem data definida para tirara a data do próximo ENEG entre outras coisas.
Indicativos de data do ENEG 2014: 17 a 21 de abril
Julho ou outubro
Nossa sugestão é que o ENEG torne-se um encontro bienal – ano impar

CAMISETAS
Quarta, dia da plenária departamental trazer as camisetas para vender.

CONSELHO NA USP:
Soltar a convocatória depois do SIMPURB
Sobre São Paulo.
Adicionar mais pessoas ao grupo do Facebook e chamar um conselho ainda para este ano.
Alimentação: tem a possibilidade conseguir o bandejão.

Calendário parcial e local de atividades semana 28out – 1nov

28out segunda
Reunião do comando unificado Geo/Hist -> 16h no vão
https://www.facebook.com/events/345288705606547

29out terça
Atividade do coletivo Quilombo Raça e Classe ->
Plenária Unificada da FFLCH -> 18h no anfiteatro da História
https://www.facebook.com/events/345288705606547

30out quarta
12h Mutirão de Assinaturas da PL de Cotas e debate com os moradores da São Remo na comunidade. Chamar os moradores para o ato às 15h no vão da História e Geografia
15h Ato com movimento sociais, sindicatos, trabalhadores e professores em apoio ao nosso movimento com chamado aberto acontecer no vão da História e Geografia;
16h Reunião da Geo sobre a Plenária -> no Vão Livre
17h30′ Plenária departamental da Geo -> no Vão Livre
https://www.facebook.com/events/216862015104490

31out quinta
9h Ato unificado entre USP, UNESP, UNICAMP e Unifesp no Theatro Municipal. Após o ato acontecerá o Comando de Mobilização Estadual contra a Repressão;
16h30: Debate ”Luta por Democracia na USP: Passado e Presente”, com Souto maior (Direito), José Pereira de Queiroz Neto (Geografia, participou das paritárias de 68), Ângela Mendes de Almeida (ex-funcionária da USP e militante de direitos humanos), Franklin Leopoldo (Filosofia, a confirmar) e Emília Viotti da Costa  (a confirmar), no vão da História e Geografia (FFLCH) (da APG)
Assembleia Geral -> 18h na reitoria

1nov sexta
10h – Concentração na Reitoria Ocupada para coleta de assinaturas do PL de Cotas na São Remo e debate com a comunidade;
15h Cineclube no Aquário
18h – atividade do Coletivo Anastácia com mulheres encarceradas, referente ao Mês de Consciência Negra, no Espaço Aquário (levar absorventes, produtos de higiene pessoal e etc…)

5nov terça
Assembleia Unificada Geo/hist -> 18h no vão (se tiver atividades ficará par 2°feira)

Samba de uma nota só… (por Rodrigo Ricupero, DH/FFLCH/USP)

Samba de uma nota só…

O manifesto assinado por mais de mais de 150 professores da FFLCH tem um ponto positivo, para além do debate público de ideias (e, diga-se de passagem, do fato de estar formalmente muito bem escrito), que é o reconhecimento da legitimidade do movimento dos estudantes.
Isto posto, o manifesto gira em torno de uma única questão: a condenação prática do movimento, descrito …nas cores mais sombrias, como, por exemplo, nas seguintes passagens: “métodos coercitivos e autoritários” ou “traços de intolerância e isolamento”, resumindo o movimento como sendo “a vontade da minoria militante” que, pela violência, silenciaria e submeteria a maioria.
Evidentemente, nem todo mundo deve ou precisa concordar com as formas ou métodos de luta encontrados, as famosas barricadas, por exemplo, são tema polêmico mesmo entre os militantes do movimento estudantil.
Contudo, não deveríamos esperar mais de um manifesto assinado por mais de 150 cientistas sociais? Do ponto de vista analítico o manifesto é pobre. Tentar explicar os motivos pelos quais nos últimos anos tenhamos vivido na universidade uma conjuntura de lutas com greves, piquetes e ocupações talvez contribuísse para o diálogo. Infelizmente, o manifesto não aponta nada mais nesse sentido do que a ação das famosas “minorias radicais violentas”, explicação típica de todo governo de plantão ao se deparar com ações que questionam sua administração.
Nem todos precisam concordar, mas o fato de estarmos assistindo nos últimos anos a um incrível movimento de massas (em especial de jovens) em várias partes do mundo, lutando por democracia real, até mesmo derrubando ditaduras, e pelo atendimento das reivindicações da maioria da população (o famoso 1% x 99% dos EUA), não me parece mera coincidência e acho que ajuda a explicar a ação dos nossos estudantes.
Mesmo o problema da democratização da universidade, centro da greve, merece apenas uma pequena reflexão no manifesto, numa passagem que, no melhor “tucanês”, afirma: “Não desconhecemos que as atuais estruturas de poder da USP sejam pouco permeáveis às aspirações coletivas”.
Enfim, fica a sensação de que a ampla unidade que o manifesto conseguiu, indo de petistas históricos até aqueles que na congregação da FFLCH definem a professora Chauí como “ideóloga dos mensaleiros”, só teria sido forjada graças à condenação dos métodos do movimento, fugindo de um debate mais rico sobre os motivos que colocam nossos estudantes em seguidas mobilizações ou mesmo sobre nossa estrutura de poder.

Rodrigo Ricupero, DH/FFLCH/USP

Moção de repúdio ao professor Ricardo Felício

Moção de repúdio ao professor Ricardo Felício

 Nós, estudantes de geografia e história da USP reunidas em assembleia unificada e organizados no CEGE e no CAHIS respectivamente, gostaríamos de expressar nosso absoluto repúdio ao Ricardo Felício, atualmente professor do Departamento de Geografia. A nosso ver, esta pessoa não possuí condições para manter seu atual cargo na Universidade, isto por insistentemente cometer violentos atos de desrespeito contra o corpo discente. Nas últimas semanas, além de tentar de todas as maneiras possíveis boicotar e sabotar a greve estudantil – um direito democrático garantido pela constituição, e uma decisão tomada na democracia direta da assembleia – Ricardo Felício protagonizou uma agressão machista contra uma estudante do curso de história tão somente para furar um piquete que pacificamente auxiliava a garantir nossa paralisação.

Assim sendo, além de reforçar o nosso coletivo repúdio, exigimos também o imediato afastamento de Ricardo Felício do corpo docente da Universidade de São Paulo e a retirada do processo movido por este contra um estudante de geografia.

Fora milico da USP!
Machistas não passarão!

Assembleia unificada Geografia e História
CAHIS-USP & CEGE-USP
Comando de Greve unificado Geografia e História
Assembleia geral de estudantes da usp (aprovada 25out13)

exames

Moção de Apoio à paralisação e ocupação da USP São Carlos

+ informações sobre a luta em Sâo Carlos -> http://mobilizacaaso.wordpress.com/

No dia 17/10/2013, os estudantes da USP São Carlos realizaram a ocupação do prédio da Prefeitura do Campus. A assembleia, realizada pós-ocupação, presidida pelo Centro Acadêmico Armando de Salles Oliveira (CAASO) definiu sua manutenção até que seja aberta negociação com a direção do campus.

A assembleia tirou como eixos políticos:
– Apoio à greve dos estudantes da USP em São Paulo e à ocupação da reitoria;
– Negociação imediata da reitoria com a ocupação em São Paulo;
– Eleições diretas e paritárias para reitor, diretores de unidade e chefes de departamento;
– Estatuinte livre e soberana;
– Fim da lista tríplice.

         Dentre as questões locais, os estudantes reivindicam:
– Posicionamento imediato da USP contrário à liminar de proibição de eventos no campus;
– Não à terceirização do ônibus área I – área II;
– Pela manutenção e melhoria da UBAS (Unidade Básica de Atendimento à Saúde) no campus;
– Pela manutenção do EESCobar (lanchonete gerida pelo CAASO) no campus;
– Reforma do prédio do CAASO para garantia de segurança do local;
– Formação de comissão paritária para projeto de construção do CAASO no campus II;
– Reunião paritária entre estudantes e dirigentes para negociação das pautas;
– Nenhuma represália ou punição aos estudantes que participarem do movimento;
– Nenhuma represália ou punição aos funcionários da prefeitura do campus que estão impossibilitados de trabalhar devido à ocupação.

Os seguintes signatários apoiam a ocupação e a paralisação dos estudantes da USP São Carlos e seus eixos de reivindicação:
CEGE-USP
CAASO – Centro Acadêmico Armando de Salles Oliveira
CCQ – Centro de Convivência da Química
SAAero – Secretaria Acadêmica da Engenharia Aeronáutica
SAAU – Secretaria Acadêmica Arquitetura e Urbanismo
Sacim – Secretaria Acadêmica da Computação, Informática, Matemática e Estatística
SACivil – Secretaria Acadêmica da Engenharia Civil
SAdEM – Secretaria Acadêmica da Engenharia Mecatrônica
SAMECA – Secretaria Acadêmica da Engenharia Mecânica
SAEComp – Secretaria Acadêmica da Engenharia de Computação
SAPA – Secretaria Acadêmica Pró-Ambiental
Pró-Produção – Secretaria Acadêmica da Engenharia de Produção Mecânica
DCE Livre da USP – Alexandre Vannucchi Leme
CABIO – Centro Acadêmico da Biologia (USP)
CAF – Centro Acadêmico da Filosofia (USP)
CALC – Centro Acadêmico Lupe Cotrim (Escola de Comunicações e Artes – USP)
CEQHR – Centro de Estudos Químicos Heinrich Rheinboldt (USP)
CAER – Centro Acadêmico Emílio Ribas (Faculdade de Saúde Pública – USP)
CARB – Centro Acadêmico Ruy Braga (Educação Física e Esporte – USP)
Guima – Centro Acadêmico Guimarães Rosa (Relações Internacionais – USP)
CAAJA – Centro Acadêmico Antonio Junqueira de Azevedo (Direito – USP RP)
CAEst – Centro Acadêmico da Estatística  (UFSCar)
C.A.J.A.R. – Centro Acadêmico José Albertino Rodrigues (Ciências Sociais – UFSCar)
DCE Livre da UFSCar

Relatoria do Comando de Greve de 18 de Outubro

retirado de: http://www.dceusp.org.br/2013/10/relatoria-do-comando-de-greve-de-18-de-outubro/

Na Assembleia Geral do Dia 09 de Outubro de 2013, os Estudantes em Greve da USP deliberaram pela Criação de um Comando de Greve Unificado para organizar as Deliberações de nossas Assembleias e de nossas Atividades de Greve. Todos os cursos da USP podem tirar delegados para esse comando, estando em greve ou não. Para tal, devem realizar Assembleias de Curso e, a cada 20 pessoas reunidas, 1 delegado poderá ser Eleito. A primeira Reunião do Comando de Greve aconteceu na última quinta feira, 17 de Outubro de 2013, para organizar as deliberações de atividades da última Assembleia Geral.

 

Delegados Eleitos até a última Quinta Feira:

Letras 16
Sociais 6
Geo/Hist 8
Farmácia 13
Biologia 12
ECA 23
R.I. 4
FSP 2
FE 4
EEFE 6
Filosofia 4
IGC 3
Sanfran 1
Textil e Moda 2
IAG 4
Física 13
FAU 10

Trancaço dos Três Portões da USP na Sexta, 18/10

Responsáveis por comprar cadeados e correntes: Raul – Farmácia, Gabi – IGc, Letícia – Letras e Arthur – Sociais.

Continue lendo