Arquivo mensais:junho 2013

Ata da assembleia da geo 24 06 13

ata 24 06

Ata assembleia geografia 24.06.13

de cerca de 18h20′ às 19h55′

por volta de 30 pessoas no auge, 15 na última votação

 

Informes:

–                    Entre os dias 24 e 28 de julho acontecerá, em Sorocaba, o Encontro regional de estudantes de geografia do sudeste (EREGEO-SE). O GT de movimento de área está organizando o busão;

–                    Na sexta passada rolou uma reunião de centros acadêmicos da FFLCH e DCE com o Adorno (chefe da FFLCH). A pauta desta foi a utilização dos espaços. Depois de horas de conversa foi combinado que estudantes apresentarão uma lista de reivindicações infraestruturais na próxima reunião no final de agosto;

–                    A última assembleia geral que rolou dia 19.06 marcou a próxima assembleia para quarta 26.06. Talvez o DCE não legitime esta decisão e talvez este proponha uma plenária das três categorias para quinta 27.06;

–                    Amanhã haverá um debate organizado pelo DCE sobre a questão do transporte. Será às 17h ou 18h no auditório da geografia;

–                    4° às 17h na praça do ciclista haverá um ato convocado pela anel e outros setores pelo Fora Feliciano;

–                    A CSP-Conlutas, entidade sindical popular da qual a anel participa, pretende organizar um movimento em suas bases sindicais na 5°;

 

Pauta:

A pauta da assembleia foi o balanço da jornada de lutas contra o aumento e do semestre, o EREGEO-SE e as comissões do CEGE. Abrimos para falas e estudantes se manifestaram sobre temas diversos.

 

Propostas aprovadas por consenso

–                    Gastar 620 reais do CEGE para subsidiar parte do ônibus para o EREGEO-SE. O preço da passagem deve ficar de 30 reais por pessoa ida e volta;

–                    Reunião aberta do CEGE terça 06.agosto às 18h no vão livre;

–                    Assembleia de geografia terça 13.agosto às 18h no vão livre;

–                    Indicar assembleia da FFLCH para quinta 15.agosto às 18h. Pauta: reunião com Adorno e outras;

Propostas defendidas e votadas:

A primeira votação da assembleia foi sobre o que construir na próxima quarta. Votamos:

Proposta 1: Legitimar e ajudar na construção da assembleia geral

Proposta 2: Que a geografia se incorpore no ato pelo Fora Feliciano na 4°feira 26/6

Ganhou a proposta número 1. Legitimaremos a assembleia geral nesta quarta-feira, e não nos incorporaremos ao ato Fora Feliciano neste mesmo dia

 

A segunda votação se deu por volta das 19h50′ e foi sobre uma questão de ordem propondo o encerramento da assembleia. Votamos:

Proposta 1. Encerramento imediato da assembleia da geografia. Divulgar os eventos contidos nas propostas encaminhadas e não votadas na ata da assembleia, e no facebook do CEGE

Proposta 2: Prosseguir a assembleia e encaminhar as atividades propostas para esta quinta-feira;

Ganhou a proposta número 1. A assembleia foi encerrada por volta das 19h55′

 

 

Propostas NÃO aprovadas (escritas abaixo como encaminhadas à mesa):

–                    Convoque o ato de quinta-feira no Facebook;

–                    Que a geografia se incorpore e construa a Plenária Nacional da Juventude, no sábado 29/6 ;

–                    Que a geografia se incorpore e construa uma Plenária com as três categorias da USP na 5°-feira 27/6;

–                    Compor e divulgar o ato pela estatização do transporte sob controle dos trabalhadores e usuários;

–                    Intervir nos comitês populares (tem alguns) com o programa da estatização do transporte público sob controle dos usuários e trabalhadores. Fim do subsídio estatal e porcentagem do VT;

–                    Compor ato na 5°feira do F6 (UNESP);

 

 

Próxima reunião do CEGE terça 06.agosto às 18h no Vão Livre

Próxima assembleia da geo terça 13.agosto às 18h no Vão Livre

A luta é urbana, o caminho esta ainda sendo construído – por Ana Fani

A luta é urbana, o caminho esta ainda sendo construído

                O urbano é agora a escala do mundo. O que esta posto para o debate como produto da contestação,  como momento em que a luta se impõe como necessidade e desejo (entrando em conflito com a passividade do cotidiano), numa escala mais ampla, é o “direito à cidade”, como direito à vida urbana em sua plenitude. E só o debate e a reflexão permitirão pensar os passos seguintes.

                O corpo tomando os espaços construídos para os carros vão revelando os conflitos que estão na base de nossa sociedade. Algumas questões aparecem no horizonte: a) o voto na urna tem justificado, que depois de eleito, o político e o partido podem fazer o que quiserem e como quiserem.  Os partidos políticos fazem alianças sem se preocupar com o que a sociedade pensa, mas em “nome dela”. Um minúsculo exemplo revela o modo como se faz política no Brasil: o vice-governador de São Paulo é ministro e não vê nenhum problema nesta atitude, e todos acham normal e pior, acham que é tema para o debate! Seria irônico se não fosse trágico! O exercício de  nossa democracia precisa ser repensada;  b) as ruas – espaços públicos por excelência, mas pensado como lugar dos carros – apontam  indignação e descontentamento com a vida na metrópole e o modo como se constrói o espaço urbano separando moradia do trabalho e lazer. A proposta do “Arco do Futuro” não vai  resolver este problema. Os frequentes processo de valorização do espaço urbano tem afastado os pobres para  periferias cada vez mais distantes,  situação que o projeto vai aprofundar; c) o transporte é apenas um dos direitos do cidadão. Ele precisa morar dignamente, ter acesso a saúde, alimentação. Ele precisa de educação de qualidade e cultura, ao lazer. E acesso ao centro e a centralidade metropolitana! Diretos de ir e vir, num transporte coletivo digno e ubíquo na metrópole que garanta, em pouco tempo, o direito de acesso à vida na metrópole e com horários estendidos. Não se diminui o preço da passagem de ônibus aumentando o IPTU, mas repensando o orçamento e suas prioridades, o modo com o ele se constrói  as alianças que privilegiam os setores imobiliários, as empresas de  transporte, as grandes construtoras, o modo como se abrem os cofres públicos criando infraestrutura e incentivos para a iniciativa privada, sob o discurso de que geram empregos; d) o aprofundamento da  segregação como característica de uma metrópole que se constitui  como negócio passível de ser lida  pela valorização advinda da construção de infraestrutura que abre espaço para novos negócios privados em detrimento dos moradores dos lugares atingidos, posto que expulsam a “população não compatível” (para utilizar um termo corrente no planejamento) nas das áreas renovadas, etc..

                A cidadania não tem por conteúdo a qualidade de vida, nem sem reduz à posse de  bens de consumo. As manifestações urbanas, por excelência, apontam os problemas vividos e, porque urbanas, reúnem uma gama de situações que iluminam os níveis da realização da vida e da necessidade de participação, de forma mais ativa, nas decisões. Portanto o direito de ser ouvido e de participar dos rumos da sociedade como um todo.

Numa sociedade urbana a luta realiza-se  de outra forma e o modo de lidar com ela é não criminalizá-la nem subestimá-la. Estamos adentrando numa nova forma de sociedade que exige uma novo modo de diálogo que é o que esta sendo construído, agora, nas ruas.

                                                                                                             Ana Fani Alessandri Carlos

HOJE 18.06 – Sexto grande ato contra o aumento da tarifa!!!

http://www.facebook.com/#!/events/361804520612050

O destino é claro, único, objetivo e específico: revogar o aumento.
Nem um passo atrás! REVOGAR O AUMENTO é o objetivo desta luta!

> 18.06 Praça da Sé, 17hr.

:: VEM PRA RUA VEM CONTRA O AUMENTO!

+ Leia as notas publicadas pelo Passe Livre São Paulo > https://www.facebook.com/passelivresp/notes

Assembleia de estudantes da Geografia 20.06 (ou 21.06…)

http://www.facebook.com/#!/events/415551978564199/

AVISO: HOJE 18.06 HAVERÁ ATO CONTRA O AUMENTO, AMANHÃ 19.06 HAVERÁ ASSEMBLEIA GERAL. TENTAREMOS REALIZAR A ASSEMBLEIA DA GEO NA QUINTA 20.06, CASO NÃO HAJA ATO…

para manutenção da nossa amada autogestão, como deliberação da última assembleia-nao-extraordinária: mais uma amada assembleia!

pautas: vixiiii, tem muitas, viu? e até quarta provavelmente terá mais!
… primeiramente, tiramos um:
>>>>> INDICATIVO DE GREVE <<<<<

a ser votado nesta assembleia
mas também…
assembleia geral / comissao de comunicação / comissao de finanças / comissao de espaço/ jornada de lutas contra o aumento da passagem / greve dxs terceirizadxs / greve da unesp / contratação de professores / congresso da GEO e muito mais.

vem. vem. vem.
vem pra assembleia vem!
no vão “LIVRE”.