Reflexão sobre o PPP do departamento de geografia da USP.

Por: Guilherme Leria Sanches

O Projeto Político Pedagógico de 2010 dá as bases de funcionamento do curso de graduação de geografia, discutindo, por exemplo, qual o perfil de profissional que se espera formar, quais conteúdos serão fundamentais e a estrutura que o curso irá seguir.

A priori, o ponto mais fundamental a ser tirado é a visão de geografia do departamento. É esse posicionamento que definirá quais professores serão contratados, quais conteúdos serão passados para a graduação e como a pesquisa, o ensino e a extensão vão funcionar como um todo no departamento.

Como é de se esperar, a geografia crítica, fruto da renovação no pensamento geográfico ocorrida durante o final do século passado, é hegemônica dentro do departamento, induzindo que grande parte do departamento tenha uma visão similar sobre os eixos definidos como centrais para o curso – geografia humana, física, regional e cartografia – e que, de forma ainda mais conturbada, dificulte a atividade de professores e discussão de temáticas que não são caras dentro da geografia crítica.

Assim o documento acaba apresentando de certa maneira uma atualização e uma continuação história do que ele próprio define como escola francesa – ou uma origem a partir da escola francesa – incluindo os aspectos críticos da geografia atual e abrindo a outras escolas do pensamento geográfico que se fazem presente.

A questão que se mostra agora é queremos continuar com a geografia crítica enquanto força hegemônica dentro do nosso departamento?

Enquanto investigação sincera, nós alunos da graduação devemos continuar fazendo o levantamento dos documentos que formam o nosso currículo e começar a formar um debate aprofundado sobre o nosso curso, unindo todos os temas caros e avaliando qual será a geografia que iremos seguir a partir de 2019.

Questionário do GT de permanência

O GT de permanência está fazendo um levantamento sobre os alunos que participam/tentaram participar dos auxílios permanência da USP, para entender o quão grave foi o ultimo corte da SAS na permanência da universidade.

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeH6Mh5xtXE-25wXnTn-tBVf2SSS-D42yLe93pSrs7tUifK4Q/viewform

O link acima te direciona diretamente para o nosso formulário online. Pedimos que respondam apenas uma vez e sejam o mais verdadeiros possível. Caso você não saiba como ver sua nota da SAS é só seguir os passos abaixo:

entre no júpiter

vá para Programa de bolsas >>>> PAPFE/SAS >>>> Inscrições em bolsas e apoio

Clique no primeiro “aqui

você verá sua nota nos locais indicados.

GT de Permanência estudantil

A situação não está boa para a permanência da Universidade de São Paulo. Muitos de nossos veteranos e calouros foram negados de auxílios básicos por conta de um aumento da demanda por permanência estudantil. Até onde nós conseguimos averiguar só um calouro conseguiu vaga no CRUSP e uma grande quantidade dos veteranos que tinham algum auxílio como moradia e alimentação não conseguiram a renovação.

Essa situação se deve a dois fatores principalmente: o aumento da nota mínima para ser elegível, relacionada ao aumento da demanda pela permanência estudantil; e o rebaixamento da nota dos veteranos. Os critérios que a SAS usa para nos classificar não são transparentes e passiveis de uma crítica mais objetiva, por que eles não o divulgam, mas encontramos absurdos como classificar irmãos gêmeos de forma diferente ou considerar hora extra como renda fixa. Continue lendo

Informe da permanência

Por: Guilherme Leria e Alexandre

Nesta ultima quarta-feira a SAS disponibilizou a lista das alunas e alunos que conseguiram a permanência estudantil. Esta lista está muito menor do que nos últimos anos, pois a nota necessária aumentou de mais de 90 pontos para mais de 100 e a nota dos alunos caiu sensivelmente. Estamos passando por um corte descarado  na permanência estudantil que está refletindo tanto a maior entrada de alunos que precisam dessa renda mensal como também uma retaliação as conquistas de acesso ao ensino publico superior. Ninguém do alojamento que cursa geografia conseguiu a vaga e grande parte se quer conseguiu a auxilio aluguel.

Dia 19/05 as 21horas da noite vai acontecer uma reunião emergencial para decidirmos como vamos nos mobilizar. A situação não mostra um futuro válido, mas é só pela coletividade que teremos a resposta para os atuais problemas!

Marcha antifascista (13/05/2017)

 

Por: Linniker Gardim.

A marcha saiu da praça da sé, por volta das 16 horas com direção ao antigo DOPS, que agora é o memorial da resistência.

Em meio a palavras de ordem, pessoas encapuzadas, usando sinalizadores vermelhos, juventude, anarquista, skinhead, comunista, fotógrafos, jornalista, um sentimento planava do ar, o da revolta, da insatisfação e do medo. Continue lendo

Antigo jornal do CEGE (arquivo virtual do CEGE)

Estamos inaugurando oficialmente o arquivo virtual do CEGE. O nosso grande calouro Linniker fez essa bouissima e digitalizou algumas edições dos antigos jornais do CEGE.

O nosso arquivo digital serve como uma biblioteca virtual, arquivo para consulta e memória viva do CEGE. Se você leitor quiser mandar um livro qualquer, um documento antigo do CEGE ou algo que valha a pena estar aqui para nossa memória só mandar para nosso email: revistacegecontato@gmail.com com o pdf do que você quer incluir no nosso acervo.

Obrigado Linniker!!